Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Extermínio de Pensamentos

É um desatino que para aqui vai...

Extermínio de Pensamentos

É um desatino que para aqui vai...

05
Jun18

A tomada de consciência

Terminatora

Apesar de estar ausente aqui, eu estou sempre atenta. Atento sempre ao que se está passar ao meu redor. Presto atenção ao que vai passando para o mundo, noticías e não-notícias. Acontecimentos e desastres. Estou bem atenta e vejo, mesmo quando para meu bem, eu finjo não ver. 

Eu preocupo-me. Preocupo-me demasiado até, com assuntos que não me afectam directamente, afligo-me por ver o outro em apuros. Aflijo-me bem mais do que na verdade gostaria e revolto-me bem mais do que devia. 

Eu já devia saber que mais de 95% das pessoas só pensa no seu umbigo, são marionetas das instituições e do sistema. São essas que influenciam outras e outras e outras... Formando assim um ciclo vicioso de violência psicológica que nunca mais terá fim. 

Eu sonhei, sonhei que continuaria a defender essas pessoas violentadas e que só haveria amor para dar. Sonhei que as pessoas não seriam mais manipuladas e elas andariam de braços dados com seus outrora concorrentes. Sonhei que todos estavam felizes, simplesmente a trocar sorrisos e risos, e estórias e beijos. Não seria preciso mais nada para que pudesse haver plena felicidade, além do amor. 

 

O amor seria a resposta que todos procuram. O amor seria aquilo que eles queriam. Mais que uma carreira bem sucedida, mais que um carro ou vestidos de 500 euros. Mais que bens materiais... O amor seria o único objectivo a alcançar. 

O amor seria a resposta de todas as questões que nos consomem e não sabemos responder. 

O amor é a resposta a todas as questões.

 

 

28
Fev18

Amar, Sofrer, Lutar e Vencer

Terminatora

Há uns dias encontrei esta frase : "A vida é dividida em 4 partes: Amar, Sofrer, Lutar e Vencer. O que ama, sofre; O que sofre, luta e o que luta, vence."  Às vezes, confesso, gosto de me encontrar com frases deste género, inspiradoras e que nos permitem reflectir por momentos, sobre a vida. 

Andamos tão submersos no trabalho, nas tarefas diárias e cumprimento de objectivos e deveres que nos esquecemos de parar e respirar. Falo por mim, mas acredito ser, mal geral. 

Então esta frase, foi daquelas que me fez parar. A vida resume-se então a estas 4 fases. 

 

Verdade que quando amamos, inevitavelmente, de uma forma ou de outra iremos sofrer. Toda a acção tem uma consequência. Boa ou má. Se lutamos, teremos consequências. Sejam eles resultados bons ou maus. Nem sempre as nossas lutas são frutíferas. Por vezes, apenas aperfeiçoamos a técnica da luta para a próxima batalha. E finalmente, se quisermos vencer, teremos de lutar. 

 

Vencer...? Vencer o quê? Vencer quem? 

 

Estamos a competir com quem? Com o quê? Perguntei-me eu. Porque é que eu tenho que vencer? Qual será o meu prémio quando vencer? Está uma competição em curso e não sei contra quem ou quê compito? Espera-me uma multidão quando chegar ao pódio? Uma medalha, uma taça? 

E que tipo de competição é esta? Corrida? Salto? Tropeços? Quedas?... 

 

Só consigo sorrir. E rir de mim própria. Para que quero eu vencer outros? Para que preciso eu de prémios, reconhecimentos ou medalhas? Porque nos impingem esta crença, de que temos que vencer na vida? Vencer na vida a que custo? Com que benefícios? Porquê vencer na vida e não vencer-te a ti próprio? 

 

De que serve, querer vencer, para mostrar a outros. Mostrar a outros que venceste na vida, ganhar o reconhecimento e apreço deles. Lutar e sacrificar-se para obter ganhos materiais, quando o essencial ficou por fazer, ou dizer? E aqueles pelos quais passaste por cima? O que ficou "escondido" nessa tua luta? Foi ela sempre justa? 

Será que pelo caminho, foste amigo da tua família? Dentro das tuas possibilidades ajudaste alguém que estava aflito? No teu dia a dia, deste o teu melhor para criar harmonia e alegria por onde passaste? Estendeste a mão, mesmo sem ta pedirem? Fizeste tudo isto, e ninguém viu. Ninguém te veio dizer que és a melhor pessoa do mundo. Ninguém te deu medalhas pela pessoa que és ou pelo apreço que tiveste para com os outros, mas ainda assim sentes-te bem. Sentes-te feliz porque fazes os outros felizes. Porque com pequenos gestos, se podem fazer grandes mudanças e ninguém precisa ver. O mundo não precisa de saber e assim vences, mais vezes que aqueles que têm troféus em prateleiras a ganhar pó.

 

Não... não vou vencer na vida porque querem que eu seja a melhor nalguma coisa. Não vou lutar para vencer outros. Se há alguma competição a decorrer, para mim acabou, pois eu já venci. E continuo a vencer todos os dias, mas venço-me a mim própria.E na verdade, lutar contra mim própria é já um grande desafio. Vencer-me, pode ser mesmo tarefa complicada. Talvez, eu pense que me venço, e talvez esteja iludida e em luta constante, para me tornar alguém melhor. Porque quero... porque eu não aceito que outros me ditem regras. 

 

Não quero vencer ninguém ou obter algo grandioso. Prefiro a humildade das minhas acções que por vezes inotáveis, sendo repetitivas, tornam-se diferentes, e indispensáveis talvez. 

 

 

 

 

01
Dez17

The Shack

Terminatora

Ontem vi este filme. Numa altura mais conturbada da minha vida decidi comprar o livro com o mesmo nome "A cabana" em português e durante a sua leitura chorei algumas vezes. Imaginei que o mesmo fosse acontecer com o filme. Não me lembro da última vez que chorasse tanto com um filme. Os cenários e os actores são como tinha imaginado. A interpretação de Sam Worthington está fenomenal em todos os aspectos. Ele consegue nos transmitir tudo aquilo que sente, todos os seus desgostos, tristezas e alegrias. 

 

É um livro fundamentalmente cristão e para quem abomina religiões talvez queira se manter longe, tanto do filme, como do livro. Eu comprei-o céptica. Já não creio em nada, como tenho dito, além das minhas vontades e energias. Fiz uma leitura, esquecendo que se tratava de uma conversa com Deus e absorvi o essencial e foi-me extremamente útil na época. Nele são-nos apenas retratados os valores com que todo o ser humano deveria nascer e crescer, independentemente da sua religião. A base de toda a história é o amor. Toda a conversa gira em torno do amor. Que o amor é a base para qualquer relacionamento, qualquer acto, qualquer situação.

 

Sempre tive por "filosofia" de vida, tratar os outros, como eu gostava que me tratassem. E acredito na lei do retorno, aquilo que dás, será o que irás receber. Seja através de uma pessoa ou uma situação. Toda a gente tem as suas crenças, toda a gente acredita em algo. Eu acredito que de certa forma, estamos conectados e que precisamos uns dos outros. Se estamos de bom humor, contagiamos os outros com essa alegria. Já quando estamos cheios de energias negativas, o ambiente à nossa volta conspira sempre para nos tornar a vida ainda pior. Já tive provas infinitas disto, não só por experiências minhas, mas vendo outros sendo tão mesquinhos e negativos, sucedia-lhes sempre tantas coisas más de uma só vez, que até me dava pena! 

Ainda não consigo controlar as minhas próprias más energias e tenho dias que ainda explodo e contamino tudo à minha volta. Mas tenho noção daquilo que faço/digo e consigo apaziguar os "estragos" a tempo de evitar uma catástrofe. Não é um processo nada fácil, deixar-se contaminar somente por amor e energias boas. Especialmente se à nossa volta há demasiada negatividade, a tal ponto que nos sentimos engolidos por tal imensidão. 

Ter amor para dar e vender, um caminho nada fácil e sem fim. Mas consegue-se! Temos primeiro que querer e não se deixar derrotar pelas adversidades que surgem no processo. 

 

A história ensina-nos como nos amar de novo e amar os outros. Se estão necessitados de reaprender a amar, a se amar... Então vale a pena espreitar

Mais sobre mim

foto do autor

Mais exterminados

Mensagens

Extermínios antigos

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar